Júlia Rodrigues pretende reduzir número de cargos dirigentes na autarquia

Ter, 14/11/2017 - 10:19


A presidente do Município de Mirandela pretende diminuir drasticamente o número de cargos dirigentes nos serviços da autarquia.

Júlia Rodrigues vai apresentar, na Assembleia Municipal de Dezembro, uma proposta de um novo organograma de funcionamento dos serviços do Município, que prevê eliminar várias chefias por entender que existem demasiados dirigentes.

Uma medida que a autarca socialista entende ser necessária, para uma maior contenção financeira e melhor funcionalidade dos serviços.

“Temos trabalhadores que têm 3 ou 4 dirigentes e em alturas de crise como esta em que a dívida é elevada temos de fazer aqui um esforço de contenção financeira e por outro lado garantir a funcionalidade dos serviços, permitindo assim uma transferência de verbas para investir em equipamentos para as equipas que estão no terreno para garantirem a sua própria segurança nas actividades que exercem”, frisou a autarca.

Apesar de ainda não avançar com o número de chefias que pretende reduzir, Júlia Rodrigues sempre vai adiantando que irá rever o despacho do anterior executivo, que há cerca de um ano, decidiu nomear, em regime de substituição, alegando “urgente conveniência de serviço”, dez trabalhadores para cargos de direcção intermédia de 3º grau.

“Julgamos haver a oportunidade de rever essa situação e apresentar o novo organograma na próxima assembleia, juntamente com o orçamento”, revela.

Entretanto, foi criado o gabinete de apoio às juntas de freguesias, coordenado pela própria autarca socialista, que pretende ser “um elo de ligação com o meio rural”. Uma das primeiras medidas será a aquisição de uma unidade móvel de saúde para prestar serviço à população das aldeias do concelho.

Algumas das primeiras medidas tomadas pela nova autarca de Mirandela, três semanas depois de ter tomado posse. Escrito por Rádio Terra Quente (CIR)