Vimioso perde Centro de Distribuição Postal dos CTT

Ter, 13/03/2018 - 10:23


O Centro de Distribuição Postal dos CTT em Vimioso foi encerrado, e o serviço centralizado no concelho vizinho de Miranda do Douro. O município opõe-se e condena este decisão tendo sido aprovada uma moção nesse sentido em reunião de câmara e que será levada à próxima assembleia municipal. O autarca de Vimioso teme que haja degradação do serviço e que este seja primeiro passo para que a loja dos correios feche ou o serviço passe para privados. Jorge Fidalgo denuncia que a decisão nunca foi comunicada à câmara Municipal pela empresa.

“Nós só tivemos conhecimento no próprio dia em que deixou de funcionar o centro de distribuição. Nunca fomos contactados absolutamente por ninguém. Entretanto liguei para a administração dos CTT para apresentar o descontentamento e a não concordância e uma semana depois de estar fechado veio cá um representante da administração, mas também não veio resolver nada”, entende o presidente do município, que considera “intolerável o secretismo com que a administração dos CTT tratou este processo, lesando fortemente e incompreensivelmente o serviço público a que está obrigado”.

O centro de distribuição é o local onde toda a correspondência do concelho é recebida, para a partir daí ser levada a cada morada. Este encerramento faz assim com que os carteiros que realizam a distribuição no concelho de Vimioso, passem a iniciar o dia em Miranda do Douro, acrescentando 30 quilómetros aos circuitos diários. O autarca acredita que, ao mesmo tempo, o encerramento deste serviço contribui para fragilizar a loja dos CTT de Vimioso “dando-se o primeiro passo para o seu encerramento a curto ou médio prazo”. “A loja só tem um funcionário e quando, por algum motivo, tiver de ir a algum lado tem de fechar a loja e a qualidade do serviço, não só na distribuição como no atendimento, está a piorar de dia para dia”, admite.

Para já ainda não houve despedimentos, mas o presidente do município de Vimioso acredita que é necessário reforçar os recursos humanos para aumentar a qualidade do serviço, e dá exemplos de problemas que surgiram no concelho nos últimos tempos:

Jorge Fidalgo considera ainda que perante o encerramento de mais um serviço “a valorização do interior é mera retórica” e acusa o Governo se demitir da sua responsabilidade no que diz respeito à defesa das populações e dos seus direitos.

A moção que condena o encerramento do centro de distribuição foi ainda enviada à Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes e exige “a imediata reabertura do Centro de Distribuição Postal de Vimioso, o reforço de carteiros e a melhoria da generalidade dos serviços”.

O concelho de Vimioso tem 22 localidade e 480 quilómetros quadrados. Escrito por Brigantia.