Cereja de Alfândega da Fé candidata Identificação Geográfica Protegida

Qui, 14/06/2018 - 11:13


A Cooperativa Agrícola de Alfândega da Fé, em articulação com o Município e a associação Qualifica, submeteram no passado mês de maio a candidatura para a cereja de Alfândega da Fé a Indicação Geográfica Protegida (IGP).

A candidatura tem vindo a trabalhada há dois anos e que se vier aprovada vai contribuir para aumentar o cultivo da cereja naquela região, sustenta o vice-presidente da Câmara de Alfândega da Fé e presidente daquela Cooperativa Agrícola, Eduardo Tavares: “é importante e estratégico para dinamizar esta cultura no nosso concelho. A cereja perdeu área de produção nos últimos anos, fruto de, nos últimos 20 ou 30, não termos conseguido criar uma identidade mais forte da cereja de Alfândega da Fé. Esta IGP surge nesse sentido, como uma forma de colmatar a falta de  identidade e de organização na produção e comercialização. Esta candidatura está feita e foi entregue no Ministério da Agricultura, agora deverá passar para a análise da União Europeia. Sabemos que esta avaliação ainda vai demorar, vamos esperar.”

A IGP incluirá ainda outras áreas de fora deste concelho, explicou o também presidente da cooperativa: “esta IGP – Cereja de Alfândega da Fé, não é restrita apenas ao concelho de Alfândega da Fé, mas pretende abarcar todas as freguesias limítrofes dos concelhos vizinhos onde, de certa forma, as características da cereja são iguais pois têm o mesmo clima e território. Da Vilariça até Bornes, por exemplo, todas estas freguesias estão dentro da nossa IGP, que se for aprovada vai criar aqui um núcleo de bons produtores que, sob uma marca chapéu, vão estar protegidos a todos os níveis, como na produção, comercialização e identidade.”

Este ano, a Festa da Cereja de Alfândega da Fé reuniu apenas produtores de cereja identificados dentro da área candidatada a Identificação Geográfica Protegida, num total de seis expositores.

Escrito por Rádio Onda Livre (CIR)