Vacinação contra a Covid-19 nos lares de Alfândega, Macedo e Vimioso arrancou esta terça-feira

Qua, 06/01/2021 - 10:01


Nos concelhos de risco extremamente elevado do distrito, a vacinação contra a Covid-19 nos lares arrancou ontem, ainda que a meio gás. 

As estruturas residenciais para idosos de Alfândega da Fé, Macedo de Cavaleiros e Vimioso foram os primeiros a receber a vacina. No concelho de Vimioso, no dia de ontem, apenas dois lares iniciaram o processo. Um deles foi o de Pinelo, em que 19 idosos e 15 funcionários receberam a primeira dose. A directora técnica, Tânia Torrão, vê este processo com esperança. “Para nós está a ser vista com grande esperança, é quase como uma luz ao fundo do túnel. Os idosos estão a reagir bem, todos aceitaram com facilidade a vacinação e os trabalhadores também. Todos se estão a sentir bem e não houve qualquer efeito secundário para já”, afiançou.

No dia de hoje a vacinação arranca na Santa Casa da Misericórdia de Vimioso. Quanto aos lares de Santulhão, Carção e Argozelo ainda não sabem quando irão receber a vacina. Já por Alfândega da Fé, no lar de Nossa Senhora das Dores, da Misericórdia, a vacinação arrancou, ontem, confirma o provedor, Carlos Pousado. “No período da manhã, foram vacinados os utentes e à tarde os colaboradores. Estamos a falar de 45 utentes e 50 funcionários”, afirmou.

Nos lares de Vilar Chão e de Vilarelhos, também da Santa Casa da Misericórdia de Alfândega da Fé, a vacinação arranca hoje. Carlos Pousado salienta que este é um processo importante para as instituições, mas também para o concelho. “Esperávamos muito por este dia, assume extrema importância para a nossa misericórdia e até para o concelho de Alfândega da Fé, tínhamos muitas expectativas em relação a esta vacina porque a solução passa por aqui”, salientou o provedor.

No dia de ontem também no lar de Grijó e na Casa de Repouso Afonso, de Macedo de Cavaleiros, foram vacinados utentes e funcionários.

Ana do Fundo tem 79 anos e foi uma das vacinados entre os 18 utentes o Centro Social e Paroquial Santa Maria Madalena, de Grijó.

Uma vacina que há muito esperava, principalmente para poder voltar a abraçar os familiares. “A mim não me custou nada. Já há muito tempo que estava à espera desta vacina. Temos estado sempre aqui fechados com muita vontade de abraçar os nossos filhos”, afirmou a utente.

António Pimentel é médico da ULSN e fez parte da equipa de vacinação. Explica que durante os próximos dias, os utentes que foram vacinados vão ser monitorizados. “Como é uma vacina nova, estamos sempre à espera de poder surgir algum efeito secundário que possa criar algum problema. Neste momento, para já, está tudo a correr bem e não houve nada de especial. De qualquer forma estamos sempre vigilantes para vermos se acontece alguma coisa nos próximos dias. Daqui a três semanas vai ser administrada a segunda dose para que a vacina fique completa. Só aí damos a vacinação como terminada para cada pessoa”, explicou.

Foram ainda vacinados os funcionários da instituição.

Para o Padre Eduardo Novo, que é director do lar, a chegada da vacina é vista com esperança. “É um belo e grande dia em que os nossos utentes estão a receber esta vacina.

Que seja o caminho para vencer o medo e a incerteza, constituindo um marco de esperança, quer psicológica como fisicamente”, destacou.

As vacinas estão a chegar a pouco e pouco ao distrito de Bragança. A campanha de vacinação contra a Covid-19 nos lares arrancou esta terça-feira nos concelhos de Alfândega da Fé, Macedo de Cavaleiros e Vimioso, abrangendo um total de cerca de 730 utentes e profissionais de 18 instituições.

A par dos lares de idosos, a ULS do Nordeste informou que também está a dar continuidade ao processo de vacinação dos profissionais que estão na linha da frente no atendimento a doentes COVID-19, garantindo-lhe uma maior proteção no desempenho da sua importante missão no combate à pandemia. Escrito por Brigantia/ Onda Livre (CIR).

Jornalista: 
Ângela Pais