Polícia Judiciária deteve dois médicos e sete agentes funerários em Bragança por corrupção e falsificação de documentos

Ter, 01/06/2021 - 09:45


Nove pessoas foram detidos pela Polícia Judiciária nas últimas horas em Bragança, suspeitos dos crimes de corrupção e falsificação de documentos.

Trata-se de dois médicos e sete agentes funerários da região.

A RTP está a avançar que um dos médicos detido é o presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Bragança, José Moreno.

Foram realizadas 29 buscas domiciliárias e não domiciliárias e detidos seis homens e três mulheres, com idades compreendidas entre os 38 e os 67 anos, suspeitos da autoria dos crimes de recebimento indevido de vantagem, corrupção, falsificação de documento e falsidade informática.

Os dois médicos envolvidos terão certificado a morte de centenas de pessoas à distância, a maioria das quais idosas que viviam nas aldeias, terão emitido e entregue a agentes funerários várias dezenas de certificados de óbito e respetivas guias de transporte de cadáveres, sem praticarem os actos médicos que lhes competia legalmente, nomeadamente, sem apurar se havia ou não indícios de crime, mediante contrapartida financeira.

Os detidos vão ser presentes às autoridades judiciárias. Escrito por Brigantia.