PUB.

Municípios de Vila Flor, Macedo de Cavaleiros e Vinhais reclamam apoios ao Governo para ajudar os agricultores afectados pelas intempéries de Maio e Junho

PUB.

Sex, 15/09/2023 - 09:09


O ministério da Agricultura anunciou uma ajuda de 50 euros por hectare, no entanto, os agricultores destes concelhos não foram abrangidos

Só em Vila Flor, foram afectados 200 hectares e gastos 250 mil euros na reparação de caminhos agrícolas, adiantou o presidente da câmara, Pedro Lima. “Nós até fizemos o levantamento dos estragos, que são bastante avultados para os agricultores. Só para restituição de caminhos agrícolas, em Vila Flor, para que as safras, que estão agora a acontecer, da amêndoa e vindimas, possam decorrer com a maior normalidade possível, foram gastos cerca de 250 mil euros pelo município. Temos cerca de 200 hectares afectados, vinha, olival, amendoal, fruteiras, nas mais variadas freguesias do concelho”.

Pedro Lima critica ainda os apoios que são atribuídos pelo Governo, por considerar serem limitados. O autarca é também agricultor e reconhece que o sector está atravessar por uma das fases mais críticas de sempre. “A agricultura do Nordeste, nomeadamente em Vila Flor, tem que ser olhada de outra forma. a agricultura passa por uma fase que acho que é a mais crítica da sua história, enfrenta factores de produção que estão numa escalada de preços continua enorme e não consegue, a agricultura, constituir margem para dar conta de intempéries e de acasos que ocorram. A agricultura está numa posição muito frágil. Quando se fala em apoios não pode ser só uma palavra vã e jogada ao vento, têm que ser apoios concretos”.

Em Macedo de Cavaleiros, o mau tempo de Maio e Junho destruiu culturas, arrancou paralelos, derrubou muros e provocou inundações. O presidente da câmara, Benjamim Rodrigues, lamenta que o município não consiga ajudar os agricultores e pede ajuda ao Governo. “Estamos sempre com grandes dificuldades para poder apoiar os agricultores, que têm tarefas tão difíceis como oferecer ao país produtos de qualidade, produtos endógenos. Quando estas intempéries surgem, muitas vezes, não temos como compensá-los.  Os próprios municípios têm dificuldades, hoje em dia, para conceder este tipo de apoios. Faria sentido que fosse o Ministério da Agricultura, eventualmente o Ministério do Ambiente também, a fazer este tipo de apoios”.

De acordo com o autarca, só a recuperação de caminhos chegou aos 350 mil euros. Os municípios, com a cooperação da Comunidade Intermunicipal das Terras de Trás-os-Montes reuniram esta semana como a ministra da Agricultura para mostrar o cenário da região. Mas garantias de apoios… “Não. Não. Não deu”.

Os municípios esperam voltar a reunir com a ministra da Agricultura e que a situação se reverta, para que os agricultores da região sejam ressarcidos dos prejuízos causados pelo mau tempo.

O apoio extraordinário abrangeu apenas os concelhos de Carrazeda de Ansiães, Torre de Moncorvo, Alijó, Murça, Penedono, Sernancelhe, Vila Nova de Foz Côa e Mêda.

Escrito por Brigantia

Jornalista: 
Ângela Pais