Empresas brasileiras vão criar postos de trabalho em Alfândega da Fé

Seg, 23/07/2018 - 09:12


Está em andamento o processo de investimento de empresas brasileiras em Alfândega da Fé.

O processo mais avançado diz respeito a uma empresa têxtil que vai criar 20 a 30 postos de trabalho. A garantia foi dada pela presidente da câmara, Berta Nunes, numa sessão de conhecimento do projecto Varandas de Trás-os-Montes, que aconteceu na sexta-feira passada, com a presença do Ministro dos Negócios Estrangeiros, o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, e as suas comitivas. Para já a empresa vai funcionar num armazém já existente, como adianta a autarca da vila Transmontana.

“Há empresas que estão muito mais avançadas, como é o caso da empresa têxtil que contamos ainda este ano iniciar a laboração. A empresa não vai fazer uma construção de raiz, mas vai alugar e fazer obras num armazém já existente. Vão vir 10 famílias de brasileiros que já trabalham nessa empresa e vamos criar 20 a 30 postos de trabalho locais”, destacou Berta Nunes.

A empresária do sector têxtil brasileira também adquiriu uma moradia de luxo, no empreendimento turístico de luxo, Varandas de Trás-os-Montes, localizado no Hotel &Spa. Para a autarca esta é a sinergia de captação de investimento que o município procura de forma a lutar contra o despovoamento.

“A empresária da empresa têxtil comprou um alojamento de luxo. Há aqui uma sinergia entre estes dois projectos, o aldeamento turístico Varandas de Trás os Montes e a captação de investimentos e postos de trabalho para Alfândega da Fé. Na primeira fase, o aldeamento turístico vai criar 30 postos de trabalhos”, avançou a presidente da câmara.

Varandas de Trás-os-Montes é um novo empreendimento turístico, de 5 estrelas que prevê a construção de 17 vivendas de luxo destinadas ao mercado brasileiro, no valor de 10 mil milhões de euros, numa primeira fase, mas que poderá ascender aos 30. Na apresentação do projecto houve a indicação que 50% das moradias estavam já sinalizadas por investidores brasileiros. Jorge Morais, da Alfandegatur, garante agora que 40 a 60 % das casas já estão contratualizadas e o projecto está no bom caminho.

“Nós já temos investidores contratualizados, no valor de 40 a 60%. Não são meras declarações de intenção. Neste momento, pelo menos 4 já estão, como foi visto aqui, no testemunho e já assinaram o contrato. Estamos no bom caminho”, contou Jorge Morais.

O projecto mereceu a atenção do Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva que na sessão de apresentação destacou que este é um exemplo de aplicação de capitais brasileiros.

“Houve interesse da parte do Ministério dos Negócios Estrangeiros a duplo título. Há aqui a aplicação de capitais e investimento de provém do estrangeiro, deste caso concreto do Brasil. Mas também existem em curso processos de internacionalização de produções nacionais, isto é, de colocação de produtos nacionais em mercados externos, nomeadamente os produtos da Rota do Azeite”, disse o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Para além da empresa têxtil, também uma empresa de aromaterapia vai abrir uma delegação em Alfandega da Fé. No âmbito da expansão da Zona Industrial, a autarquia oferece apoios locais, em que as empresas que criem mais de 20 postos de trabalho têm direito a um lote na zona industrial gratuito. Para além deste apoio, o município vai apoiar o licenciamento da empresa, a isenção de 100% de taxas municipais e apoio financeiro nos postos de trabalho. 

Escrito por Brigantia

Jornalista: 
Maria João Canadas