Caçadores detidos em Vila Flor pagam dois mil euros a instituições de solidariedade social

Ter, 17/01/2023 - 08:20


O Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) da GNR de Mirandela deteve, domingo, em flagrante delito, mais cinco homens pela prática de atos venatórios considerados ilegais, no concelho de Vila Flor, distrito de Bragança, confirmou, ao JN, o comandante da GNR de Mirandela, o capitão Hugo Torrado

Os caçadores – quatro residentes no distrito de Leiria e um no distrito do Porto – foram detidos por caçar antes do nascer do sol e um deles pela utilização de um chamariz, equipamento não permitido por Lei, tendo-lhe sido apreendidas cinco armas de caça, um chamariz e centenas de munições.

Os cinco foram notificados para comparecer, esta tarde, no tribunal de Vila Flor para a determinação das medidas de coação. Todos aceitaram a suspensão provisória da pena, quatro deles mediante o pagamento de 500 euros (cada) que revertem para instituições particulares de solidariedade social. Já o caçador detido por utilizar chamariz, aceitou a suspensão mediante a injunção de 55 horas de trabalho comunitário.

O comandante da GNR de Mirandela remete mais informações para um comunicado a ser divulgado nas próximas horas.

Desde outubro de 2022, no distrito de Bragança, já foram detidos mais de quatro dezenas de caçadores por práticas ilegais que resultaram no pagamento de mais de 14 mil euros de multas. Montantes que foram distribuídos por diversas instituições particulares de solidariedade social.

Escrito por Terra Quente (CIR)