Produto criado a partir da flor de castanheiro está a ser utilizado como aditivo natural do vinho

Ter, 16/10/2018 - 09:16


Investigadores do Instituto Politécnico Bragança (IPB) desenvolveram um novo produto criado a partir da flor de castanheiro, utilizado como aditivo natural do vinho que substitui os sulfitos.

É uma inovação que resulta de anos de trabalho no Politécnico e que está já a ser aplicada por uma marca de vinhos e testado por outras, tendo o produto sido patenteado, como explica Isabel Ferreira, directora do Centro de Investigação de Montanha (CIMO). "Este é um projecto que tem tido uma projecção muito grande. A ideia também foi extraordinariamente inovadora. Foi alvo de uma patente que já está aprovada, uma patente internacional. Esperemos que tenha um potencial económico muito interessante. O vinho já está no mercado em parceria com a quinta da Palmirinha. É um projecto que já vem de há muitos anos mas que agora está já nesta fase em que o produto está no mercado, a patente registada e muitos produtores a utilizar".

A investigadora adianta que o objectivo era contribuir para a produção de vinhos sem a adição de sulfitos, que ajudam a conservar a bebida, mas que podem ser substituída por uma alternativa mais natural. "A flor de castanheiro o que faz é precisamente a substituição de sulfitos. Os sulfitos são compostos artificiais que são utilizados como um antimicrobianos e antioxidantes para a conservação mas que têm muitos efeitos secundários", explicou Isabel Ferreira.

O IPB está agora a estudar a melhor alternativa para fazer chegar este produto ao mercado em maior escala. "Até este momento foi o CIMO que produziu os ingredientes que foram incorporados depois no vinho. Não quisemos fazer a transferência para o mercado até termos as questões acauteladas do ponto de vista da propriedade industrial. Agora que está aprovado, estamos a ponderar quais são as possibilidades. Neste momento, gostaríamos que este ingrediente fosse utilizado de forma mais disseminada e que aparecêssemos como pioneiros a nível mundial na exploração da flor de castanheiro para estes efeitos".

Este é mais um dos produtos inovadores que nasceu no Instituto Politécnico Bragança, no sector da castanha, depois do desenvolvimento de farinhas deste fruto seco e do DICTIS, um produto biológico para o tratamento do Cancro do Castanheiro.

Escrito por Brigantia

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro