PUB.

Pesca proibida no rio Tua devido a poluição

PUB.

Qua, 09/10/2019 - 10:56


O Clube de Caça e Pesca de Mirandela lançou, esta terça-feira, um edital a proibir a pesca desportiva na sua área de concessão do rio Tua – mais concretamente entre a Açude do Gomes até à açude do Choupim, incluindo a Ribeira de Carvalhais – devido à descarga de efluentes perigosos, que têm sido visíveis, a partir do Açude de Eixes no rio Rabaçal, afluente do Tua, para jusante, desde o passado dia 22 de Setembro, e que já provocou a morte de centenas de peixes, recolhidos pelo serviço municipal de Proteção Civil de Mirandela.

Mesmo assim, nos últimos dias, tem sido visível a deslocação de uma mancha negra ao longo do rio e de alguns peixes mortos, bem como de um forte odor, que levou os técnicos do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas ao local e a desaconselhar o consumo humano de peixes provenientes desta zona do rio até regularização da situação, como refere o presidente do Clube de Caça e Pesca de Mirandela, João Ribeiro.

“Temos três pontos de concessão de cedências de pesca e dei ordens para não facultarem nenhuma licença até ordem em contrário, sem data limite de fim, até as entidades competentes nos comuniquem que não há problema para a saúde pública. E recomendamos a toda a população que não consuma o peixe do rio porque não sabemos qual a substância que está a provocar a morte dos peixes”, sublinhou.

O exercício da pesca dentro da concessão a cargo do clube vai estar interditado, até aviso em contrário.

Entretanto, o serviço de comunicação da Câmara Municipal de Mirandela emitiu uma nota de imprensa sobre este assunto, onde refere que, desde o dia 22 de Setembro, tem acompanhado “exaustivamente a situação que se verificou no Rio Rabaçal, junto ao açude de Eixes, onde se encontraram peixes mortos e uma nata que cobria a superfície da água”.

Adianta a nota que, após a realização de contactos com várias entidades, o Serviço de Proteção da Natureza da GNR de Chaves e a APA (Agência Portuguesa do Ambiente) “procederam à recolha de amostras de água para posterior análise em laboratório e autorizaram a retirada dos peixes mortos”, uma operação que esteve a cargo do Serviço de Ambiente da Câmara de Mirandela, “com recurso a redes de pesca e com o apoio do barco dos Bombeiros Voluntários de Mirandela, para além de retirar a nata com recurso a viatura de limpeza e desobstrução”.

A nota de imprensa da autarquia mirandelense revela ainda que o serviço municipal de proteção civil de Valpaços solicitou à EDP Produção, a realização de descargas de água das barragens a montante e a proteção civil de Mirandela efetuou descargas pontuais no açude Ponte de Mirandela. Escrito por Terra Quente FM (CIR).

Foto: Município de Mirandela