PUB.

MASCARARTE traz exposições de transmontanos a Bragança para conhecer mascarados e festas de inverno

PUB.

Ter, 03/12/2019 - 10:34


No âmbito da nona Bienal da Máscara, a Mascararte, o Museu do Abade de Baçal e o Centro de Fotografia Georges Dussaud, em Bragança, estão a acolher duas exposições. Uma é da pintora transmontana Balbina Mendes e outra trata-se de um conjunto de fotografias que retratam muitas das máscaras das tradicionais festas de Inverno da região

A mais recente exposição de Balbina Mendes, “O Rosto, Máscara Intemporal”, está patente em Bragança. No âmbito da nona Bienal da Máscara, a Mascararte, o Museu do Abade de Baçal foi o local escolhido para receber os trabalhos da pintora transmontana que volta a expor na capital de distrito passados 10 anos. Para Bragança foram criadas algumas peças, nomeadamente a pintura “Tributo”, que retrata o Abade de Baçal, e se encontra em destaque no museu, como conta Balbina Mendes. “É uma peça que homenageia não só o Abade de Baçal como todos os interessados, desde escritores, etnógrafos, etnólogos, que olharam para os rituais de inverno com máscaras com outro olhar e os entenderam. É também uma homenagem às comunidades que tão bem, ao longo de séculos, souberam preservar os seus rituais e legados, como elementos tão simbólicos e profundos para uma cultura que é identitária”, explicou.

As restantes peças são pinturas de rostos, mas à sua frente, um vidro, cria uma espécie de máscara, mostrando “a dualidade de rosto e máscara”. Evidencia-se aqui a máscara como um “disfarce” e algo que é “inerente” à condição humana, a necessidade de qualquer um se “ocultar” e “defender”, assim como de não querer “revelar” tudo que se tem na alma. “Em primeiro lugar é trabalho um rosto e depois uma máscara, que se interpõe entre o observador e o rosto que está a ocultar”, explicou ainda a autora.

Também inserido na Mascararte, abriu, na passada sexta-feira, a exposição de fotografia “Eu e o Outro - Máscaras Rituais de Trás-os-Montes e Douro”. Trata-se de um conjunto de fotografias que retratam muitas das máscaras das tradicionais festas de Inverno da região, como explica a vereadora da cultura do município de Bragança, Fernanda Silva. “É uma exposição de Manuel Gardete, fotografo de origem transmontana, que tão bem soube retratar as festividades de inverno, desde o solstício de inverno até ao carnaval. É uma viagem cronológica pelas festividades de inverno e há ali muitos pormenores interessantes que lhe permitiu estabelecer um contacto com o outro, neste caso com os mascarados, e agora permite estabelecer uma linguagem entre ele, artista, e quem visita a exposição e observa as fotografias”.

A mostra fotográfica estará patente até dia 12 de Janeiro, no centro de fotografia Georges Dussaud. Já a exposição “O Rosto, Máscara Intemporal”, de Balbina Mendes, pode ser visitada, no Museu do Abade de Baçal, até 1 de Março.

Escrito por Brigantia

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro