Laboratório Colaborativo More desenvolve mais de 30 projectos no primeiro ano de actividade

Qui, 04/06/2020 - 09:50


O Laboratório Colaborativo More de Bragança está a completar um ano de actividade.

O centro de investigação instalado no Brigantia Ecopark, além de reunir 24 profissionais, ao longo deste primeiro ano de trabalho já conseguiu elaborar mais de 3 dezenas de propostas de investigação e desenvolvimento. Segundo Andrey Romanenko, director executivo do CoLab More, a maioria deles destina-se a melhorar o desempenho ou criar novos produtos para empresas.

“No final do primeiro anos, temos mais de 30 propostas, com um investimento total acima de 3 milhões de euros, que é o triplo do investimento em recursos humanos. Quase todos os projectos envolvem empresas, o que é uma prova que as empresas têm interesse e beneficiam da nossa colaboração”, sustenta.

O responsável do Laboratório Colaborativo Montanhas de Investigação considera que a estrutura pode ter um papel importante nesta fase, ajudando empresas na recuperação.

“Nesta conjuntura, é importante para as empresas ver o curto prazo e assegurar a liquidez, mas também é extremamente importante pensar a médio e longo prazo. Aí as iniciativas de investigação e desenvolvimento, com a criação de novos produtos, diversificação de mercado e internacionalização, são muito importantes e é preciso pensar nestes aspectos já. E o Laboratório More é um parceiro ideal para tratar destes assuntos”, sublinha.

O CoLab More faz parte da rede de 26 laboratórios colaborativos nacionais, que têm como principal função ser uma ponte entre as instituições de investigação e desenvolvimento e o mundo empresarial e a sociedade.

O Laboratório Colaborativo Montanhas de Investigação assume como objectivo principal a implementação de uma agenda de investigação e inovação nas zonas de montanha orientada para a criação de valor económico e social.

O consórcio junta unidades de investigação, laboratórios, instituições de ensino superior, centros tecnológicos e actores económicos, sociais e culturais. Escrito por Brigantia.

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro