Greve dos enfermeiros obriga ao cancelamento de cirurgias na ULS do Nordeste

Ter, 22/11/2022 - 13:10


Há cirurgias e consultas na Unidade Local de Saúde do Nordeste que estão a ser canceladas devido à greve dos enfermeiros, nomeadamente em Mirandela

A falta de profissionais, garante serviços mínimos nos hospitais, mas as cirurgias de ambulatório não estão asseguradas. De acordo com Alfredo Gomes, do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, no hospital de Bragança a adesão é de 30%:

“Dos dados que nos chegaram, o hospital de Bragança está com uma adesão na ordem dos 30%, quanto aos hospitais de Macedo de Cavaleiros e Mirandela ainda não me chegaram dados. Nos centros de saúde, destaco o de Miranda do Douro, que está a quase 90% de greve e Torre de Moncorvo e Vinhais estão na ordem dos 30%”, referiu.

Na semana passada os enfermeiros também aderiram à greve da função pública. Esta semana voltaram a convocar greve para terça e quarta-feira. Pedem que sejam pagos os retroactivos de 2018.

“As poucas evoluções que teve foi que pagava os retroactivos em Janeiro de 2022 quando nós temos enfermeiros que contabilizados os pontos de acordo com o diploma adquiria o direito a serem reposicionados em Janeiro de 2018, portanto não podemos estar de acordo que se limpem quatro anos de vencimento base a estes enfermeiros, que nos casos mais extremos atinge mais de 20 mil euros de retroactivos que o Ministério da Saúde não quer pagar”, afirmou.

A tabela salarial dos enfermeiros ficou indexada à tabela salarial da carreira técnica da administração pública e, por isso, querem também um ajuste também do salário.

Segundo o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, na ULS do Nordeste há um défice destes profissionais.

“Hoje a situação não é tão grave como antes da covid, porque se admitiram muitos enfermeiros. Mas na ULS do Nordeste para prestarmos os cuidados que os doentes merecem, a necessidade de enfermeiros é superior a meia centena”, frisou Alfredo Gomes.

Contactada a Unidade Local de Saúde do Nordeste para perceber o impacto que a greve teve nas unidades hospitalares do distrito, referiram que não iam falar sobre o assunto.

Escrito por Brigantia

Jornalista: 
Ângela Pais