Futsal: Presidente dos Pioneiros esclarece situação financeira do clube e lamenta a escassez de apoios do município

Sex, 10/07/2020 - 09:17


Os Pioneiros de Bragança atravessam dificuldades financeiras e, por isso, o clube não vai competir em seniores e na maioria dos campeonatos de formação de futsal, na temporada 2020/2021.

Para agravar a situação, segundo Ricardo Pires, os Pioneiros “não recebem qualquer apoio financeiro da autarquia desde o passado mês de Fevereiro” pelo facto de o clube ainda “não ter liquidado uma dívida com o município relativa à utilização do Pavilhão Municipal”.

O presidente dos Pioneiros esclarece ainda que a verba protocolada com a Câmara Municipal de Bragança “não é de 17.800 euros, como foi divulgado, mas sim de 7.800”. É que 10 mil fazem parte de um apoio extra que deveria ter sido pago em Agosto de 2019.

Segundo Ricardo Pires, os Pioneiros pagam cerca de 500 euros mensais à autarquia de Bragança pela utilização do pavilhão. “É importante que tudo seja clarificado para que todas as pessoas saibam que tipo de gestão fazemos e que somos transparentes. A nossa dívida não é por porque fomos jantar fora ou de férias para a Madeira, mas porque pagamos pela utilização da infra-estrutura desportiva que é usada para a preparação dos atletas”.

Ricardo Pires lamenta a escassez de verbas e olha para concelhos vizinhos onde diz que o apoio ao futsal é total. “As pessoas têm que ter a noção que o apoio que recebemos é insuficiente. Basta olharmos, por exemplo, para Mogadouro em que o futsal tem um apoio municipal de cerca de 50 mil euros mais os transportes para todos os escalões. O mesmo acontece em Macedo de Cavaleiros”.

Para o presidente dos Pioneiros há dois pesos e duas medidas na atribuição de verbas. “Dá a sensação, em várias situações, que para uns os regulamentos são para cumprir à risca e para outros não”.

Ricardo Pires contou ainda que para fazer face às despesas correntes da temporada passada no nacional de futsal o clube teve que contrair algumas dívidas e que vários directores fizeram mesmo investimentos pessoais.