PUB.

Câmara de Bragança abre concurso para tratamento de água do município nos próximos 5 anos

PUB.

Seg, 03/08/2020 - 09:08


A câmara de Bragança abriu concurso, até Março 2021, para o serviço de tratamento de água do município.

O assunto foi objecto de decisão, na sexta-feira, na Assembleia Municipal Extraordinária. A autarquia, responsável pela gestão em baixa, diz não ter recursos humanos para tratar água e manter os níveis de qualidade e de eficiência. O presidente da câmara, Hernâni Dias, entende que com a atribuição deste serviço a uma empresa privada é possível controlar as perdas de água, que rondam a ordem dos 30%.

“O problema é a água que não entra para o processo de facturação e é aí que nós queremos intervir, por forma a que a água sai dos contadores das ETA’s, por exemplo, possa ser a mesma que é contabilizada ao consumidor final”, disse.  

O município de Bragança está ainda a passar a distribuição de água em alta para a Comunidade Intermunicipal, que por sua vez, a vai concessionar à empresa Resíduos do Nordeste. Quanto ao tratamento da água ficará então a cargo da empresa que ganhar o concurso, entre 2021 e 2026. Fátima Bento, deputada municipal da CDU, defendeu, naassembleia, que desta forma o serviço será privatizado e não entende a posição do município.

“É mais uma etapa para a privatização da água em baixa, de forma dissimulada. É difícil compreender a incapacidade que a câmara municipal assume relativamente à inexistência de recursos humanos e técnicos capazes de realizar a gestão dos recursos hídricos do concelho. Tendo em conta o processo em curso da entrega da gestão da água à Resíduos do Nordeste, não deixa de ser mais uma vez a autarquia a fazer um investimento para mais tarde a empresa usufruir dos ganhos sem custos”, afirmou.

Relativamente às declarações de Fátima Bento, Hernâni Dias afirma que não fazem sentido.

“O nosso objectivo é fazer exactamente o contrário, é fazer com que a câmara seja sempre a entidade gestora da água”, referiu o autarca.

A Assembleia Municipal Extraordinária aconteceu na passada sexta-feira e ficou marcada com o abandono dos deputados do Partido Socialista. O líder da bancada parlamentar do PS foi impedido de falar pelo presidente da mesa da Assembleia, que considerou que a intervenção não correspondia ao assunto “Consolidação de Contas do Exercício de 2019”, estabelecido na ordem de trabalhos.

Escrito por Brigantia

Jornalista: 
Ângela Pais