António Forneiro (Carção): "As equipas de arbitragem têm de ter mais pedagogia, têm de falar mais com os jogadores"

PUB.

Qua, 13/10/2021 - 11:13


António Forneiro, técnico do Carção, considera que os árbitros deviam ter uma acção mais pedagógica em determinados momentos do jogo.

O treinador lamenta as expulsões de Micoli e Gonçalo Frederico, no passado domingo, no encontro com os Estudantes Africanos, que o Carção venceu por 2-1. “Ainda agora o campeonato começou e já cansa. Não se passou nada de especial no jogo que justificasse tantos amarelos e expulsões. Na minha opinião as equipas de arbitragem têm de ter mais pedagogia, têm de falar mais com os jogadores”.

No entanto, o técnico reconhece que a expulsão de Micoli, por acumulação de amarelos, não sofre contestação, ao contrário do vermelho dado a Gonçalo Frederico. “O segundo amarelo mostrado ao Micoli foi no segundo golo e por ter tirado a camisola nos festejos, aí nada a dizer. São as regras. Agora, a expulsão do Gonçalo não percebi. A expulsar alguém seria quem se envolveu nas agressões, após a falta sobre o Finati”.

O Carção soma duas vitórias nas duas primeiras jornadas da Divisão de Honra Pavimir, sendo que na primeira a equipa de António Forneiro não precisou de jogar para somar três pontos. O Carção venceu o jogo na secretaria por falta de comparência do FC Carrazeda.

O treinador quer manter-se na senda das vitórias, mas lembra que conta com um grupo muito jovem. “Não vou estar aqui com coisas pois queremos ganhar todos os jogos que conseguirmos. Mas, nós temos uma equipa muito jovem, a maioria dos jogadores com formação no G.D. Bragança, um ou outro já com alguma experiência. É verdade que são miúdos com muita qualidade mas às vezes falta mais qualquer coisa no momento certo”.

Esta semana, o Carção prepara a partida com o G.D. Mirandês, um jogo relativo à jornada 3 da Divisão de Honra Pavimir. Micoli e Gonçalo Frederico são baixas confirmadas por castigo disciplinar.

O Carção ocupa o segundo lugar com seis pontos, os mesmos que o líder, o Rebordelo.

 

Jornalista: 
SM