PUB.

“Valor Natural” já está a trabalhar com empresas da região para pôr aromas e corantes naturais no mercado

PUB.

Seg, 07/10/2019 - 10:51


O projecto “Valor Natural”, que consiste em produzir corantes e aromas naturais para a indústria alimentar e desenvolver equipamentos para conservar alimentos, já está a ser aplicado no terreno, em parceria com empresas da região

Elisabete Ferreira, representante da padaria Pão de Gimonde, empresa que se aliou à ideia do Instituto Politécnico de Bragança, acredita que o projecto vai ajudar a enriquecer a constituição do pão. “Primeiro a questão dos produtos naturais e depois podermos com o pão, aquilo que comemos todos os dias, poder enriquecê-lo e, no fundo, temos que ver o pão como nutrição, com alimento e como saúde. Este projecto vai ajudar bastante. Vamos ter inovação”.

A empresa Deifil, também parceira no projecto, é responsável pela extracção de aromas. Andreia Afonso, fundadora da empresa, explica que o intuito é potenciar o mercado das plantas, enquanto produtos naturais, e o rendimento dos agricultores. “Estamos mais ligados à parte dos aromas e, portanto, estamos mais no fornecimento de matérias prima para esses testes. O objectivo é potencializar a produção de plantas e dar-lhes outra aplicação que não só o consumo. Acabamos por valorizar e criar um novo mercado para as nossas plantas e, por outro lado, acabamos por ter um produto de valor acrescentado para que possamos chegar ao agricultor e que ele tenha mais rendimento, quanto às suas explorações”.

Numa fase de preparação de ingredientes naturais para inserir nos alimentos, Isabel Ferreira, investigadora do IPB e coordenadora do projecto, refere que estão a ser desenvolvidos produtos mais sustentáveis para o ambiente. “Não quer dizer que tudo que é natural é seguro, há muitos produtos naturais que têm muita toxicidade e, neste caso, temos que passar na mesma por todos os testes de toxicidade mas estamos a desenvolver produtos mais sustentáveis do ponto de vista ambiental e que sejam seguros para o consumidor”.

A Universidade do Porto, parceira do IPB no projecto, trata da extracção de aromas de plantas aromáticas e frutos secos, da região, de acordo com o que explica Madalena Dias, investigadora da instituição. “Os nossos produtos são todos fornecidos por parceiros do consórcio, daqui da região e da região do Porto, e isso é fundamental porque temos que cada vez mais usar produtos naturais”.

O projecto mobilizador “ValorNatural” está numa fase de preparação de ingredientes naturais e ficará concluído dentro de três anos.

Escrito por Brigantia

Jornalista: 
Ângela Pais