Transmontana candidata a bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados esteve em campanha na região

Qua, 06/12/2017 - 10:13


Dar qualidade de vida e servir os contabilistas são os grandes objectivos de Paula Franco, candidata a bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados que passou ontem pelo distrito de Bragança para apresentar o programa que vai a eleições este mês.

Aspectos que a candidata considera importantes para garantir a permanência dos contabilistas na profissão.
“Sim, neste momento eu acho que esse é um dos principais pontos que faz muita gente dizer que se soubessem nem optariam por essa profissão, e isso tem de mudar.
É uma profissão importante, com contributo directo e que os profissionais tem de ter muito orgulho de querer estar nela e não sair e, por isso, é preciso melhorar a qualidade de vida para que todos os profissionais se sintam confortáveis nela.
Esta candidatura serve aos contabilistas e ao que eles precisam.
Há mais problemas e os mais importantes têm a ver coma relação com a autoridade tributária porque é uma relação difícil em que cada vez há mais obrigações e dificuldade em conseguir cumpri-las. “
Com raízes em Vilarinho de Agrochão, Macedo de Cavaleiros, a candidata diz que o sangue transmontano é um dos motores da campanha e, se for a eleita, fica a promessa de que os profissionais do distrito de Bragança não vão ser esquecidos.
“Dizem que as costelas transmontanas são pessoas com garra e, portanto, acho que grande parte dela vem dai.
Para o distrito é preciso mais proximidade, falou-se aqui da falta de uma delegação em Bragança e essa pode ser uma das situações a repensar no futuro. Outra das possibilidades é a bastonária vir cá mais vezes, haver mais formações localizadas e direccionar tudo para que os contabilistas do distrito sintam que estão a ser acompanhados.”
Da Assembleia Representativa fazem parte quatro membros do distrito. Dois efectivos, representantes dos concelhos de Macedo de Cavaleiros e Mirandela, e dois suplentes de Bragança.
Rui Costa é o contabilista que dá a cara por Macedo de Cavaleiros e diz ter aceitado o convite por achar que há muito a fazer pela Ordem no distrito, e a descentralização e valorização do interior são prioridades.
“Há muito a fazer, nomeadamente porque sofremos daquilo que sofrem todo o nosso interior e essa interioridade requer que tenhamos uma voz cada vez mais forte e ativa para que se possam sempre lembrar que aqui temos muito trabalho e embora sejamos poucos, temos as mesmas obrigações e responsabilidades do que qualquer colega que esteja no litoral.
Até agora esse reconhecimento e igualdade não têm acontecido completamente. Temos de nos deslocar muitas vezes aos grandes centros para obter formação e há muitas que só não decorrer aqui porque não têm um número suficiente de inscritos. Mesmo com um número reduzido de inscrições gostaríamos de ter aqui essas formações.”
Outro dos cabeças de lista da assembleia representativa do distrito é Aníbal Sousa, que representa Mirandela, e diz ver na candidatura um projecto sólido e capaz de reconhecer devidamente a profissão de contabilista.
“Desde há muito tempo que eu conheço a Dr. Paula Franco e vi nela um projecto credível e forte face ao que se perfila e às necessidades da nossa ordem.
A ordem tem um património material e imaterial imenso. Muita gente precisa de optimizar e rentabilizar todos esses recursos e pô-los ao serviço dos contabilistas certificados de modo a que se sintam valorizados, com credibilidade e que esse património seja reconhecido não só pelo poder político mas também pelo poder civil para que saia uma profissão melhor.”
As eleições para a Ordem dos Contabilistas Certificados acontecem no próximo dia 20 com quatro listas a sufrágio. Escrito por ONDA LIVRE (CIR)