Trabalhadores que recolhem o lixo na Terra Quente transmontana dizem que a partir da próxima semana "nem direitos nem emprego”

Sex, 29/12/2017 - 19:33


Depois de vários dias de protesto por terem uma situação profissional indefinida os trabalhadores da recolha de lixo na Terra Quente transmontana já sabem o seu futuro. Após uma reunião entre a FCC, empresa que termina contrato com a resíduos do Nordeste e a Ferrovial, a nova empresa responsável pela recolha do lixo nos municípios da Terra quente a partir de Segunda-feira, não houve consenso quanto à transferência de trabalhadores. Ao que a Brigantia apurou junto dos trabalhadores a Ferrovial não aceita a transferência dos operários. E a FCC, segundo os mesmos, garante que a nova empresa é obrigada a aceitar. Também segundo os trabalhadores dizem saber a Ferrovial já tem pessoal para começar na Segunda-feira o trabalho. “E nós nem direitos nem emprego” disse um trabalhador à Brigantia.