S.C. Mirandela já trabalha

Ter, 10/07/2018 - 10:40


O S.C. Mirandela começou ontem os trabalhos de pré-época. O plantel às ordens do técnico, Rui Borges, conta para já com 18 jogadores dos quais 13 são caras novas e apenas cinco transitaram da temporada passada.

A equipa é bastante renovada, mas é algo que não surpreende o treinador. Rui Borges quer garantir a manutenção no Campeonato de Portugal e para isso conta com uma mescla de juventude e experiência.

“É uma equipa nova, algo que já é habitual no Mirandela. Este ano há uma mistura de juventude e experiência. É um desafio que me agrada e estou preparado para a nova época”.

O quarto lugar alcançado na época passada não pressiona o treinador a subir mais na tabela classificativa até porque “o mercado está inflacionado e não é fácil ombrear com equipas com mais poder económico”. A manutenção é “o primeiro objectivo do clube”.

Entre os reforços, Clayton é o destaque para o meio-campo. O brasileiro, de 31 anos, conta com experiência na 2ª Liga ao serviço do Feirense, G.D. Chaves, Académico de Viseu e UD Oliveirense na temporada anterior. O jogador diz ter boas referências do Mirandela.

“Um amigo meu já tinha jogado cá e deu-me boas referências do clube. Espero adaptar-me bem”, referiu.

Além do médio Clayton, o Mirandela reforçou-se com os centrais Carlos Ponte (ex-União da Madeira B), Manecas (ex- Vilariça), que regressou à formação alvinegra, e Gilberto (ex-Jonavas); para o meio campo chegou Atila (ex-Berço); Varela (ex-Sintrense), Vitinho (ex-Praiense), João Victor (ex-América do natal) e Tozinho (ex-Penafiel B) reforçam o ataque.

A primeira sessão de treinos não contou com o central Pedro Santos (ex-Sanjoanense), o médio Alex Porto (ex-Paredes), o extremo Carlos Eduardo (ex-Luverdense) e o avançado Tiago Borges (ex-Sanjoanense) que só se apresentam no São Sebastião esta terça-feira.

Da época passada renovaram Nuno Corunha, Amorim, João Loureiro, Zé Ricardo e o guarda-redes Pedro Fernandes. Este já optimista apesar de reconhecer que todos as temporadas o início dos trabalhos nunca é fácil.

“Há sempre muitos jogadores novos e é sempre mais difícil. Todos os anos é assim mas acaba por tudo correr bem e conseguimos levar o barco a bom porto, ou seja a permanência no Campeonato de Portugal”.

O plantel ainda não está completo. Rui Borges pretende ter mais duas opções para a baliza, dois médios e um extremo.

Ao contrário da época passada, o S.C. Mirandela terá uma despesa maior com a equipa. O protocolo com o Desportivo das Aves não foi renovado e a verba que chega da autarquia sofreu uma redução de 12 mil euros anuais.

Carlos Correia, presidente do S.C. Mirandela, antevê dificuldades, mas espera conseguir uma “equipa competitiva para garantir a manutenção”.

O primeiro jogo de treino do Mirandela está marcado para o próximo sábado, dia 14, em casa, frente ao G.D. Chaves B. A apresentação aos sócios está agendada para o dia 4 de Agosto.

 

 

Jornalista: 
Susana Madureira