Reorganização pastoral na diocese de Bragança-Miranda responde a "realidade desafiante" de redução de párocos e fiéis

Qua, 05/12/2018 - 10:47


O Bispo da Diocese de Bragança-Miranda garante que mesmo com a fusão de paróquias na cidade de Bragança, as igrejas não serão esvaziadas de culto e vão continuar a ter celebrações eucarísticas regulares.

D. José Cordeiro falou com a rádio Brigantia a propósito da reorganização pastoral, que em Bragança reduz 7 paróquias a 2 unidades pastorais, e garantiu que as mudanças são de ordem administrativa.

“Esta realidade passa agora a ter canonicamente duas paróquias mas substancialmente não é alterado nada do trabalho em comunhão e em rede. As igrejas, a liturgia e a vida da comunidade continua substancialmente na mesma. Algumas pessoas que tinham algum receio de perder as celebrações, a referência ou os lugares, não. Mesmo os próprios nomes se mantêm”, assegurou D. José Cordeiro.

Segundo o bispo diocesano, a estrutura existente era muito pesada e tendo em conta o número de padres e de paróquias existentes. “São 6600 quilómetros quadrados, é a quarta maior diocese de Portugal, mas não chegaremos a 120 mil pessoas. Estávamos com 326 Paróquias, uma estrutura muito pesada e neste momento temos 50 párocos ao, com 10 diáconos permanentes e felizmente muitos leigos. E ao fim destes 7 anos já muitas operações foram realizadas e de 12 arciprestados passamos para quatro, Bragança, Miranda, Mirandela e Moncorvo. E criámos 40 unidades pastorais mas ao longo destes anos fomos refletindo, e reorganizando e dessas 40 passamos para 18”, afirmou.

D. José Cordeiro garante que não existe nenhuma paróquia sem padre, mas admite que muitas delas não podem ter os serviços e a vida que tinham há alguns anos. “Não existe nenhuma paróquia sem pároco, mas muitas delas não podem ter o serviços e a vida que tinham há alguns anos, até porque também dentro das próprias comunidades há uma diminuição muito significativa dos fiéis e da presença real da igreja ali e isso obriga a muitos terem muitas paróquias.

Em algumas paróquias, mesmo da nossa diocese, já não é possível realizar uma celebração com toda a dignidade e envolvimento dos ministérios exigidos para uma boa celebração, e quem diz isso, diz para a constituição das comissões fabriqueiras aquelas que têm também Centro Social Paroquial, para os órgãos sociais e para outros dinamismos de uma comunidade cristã. São muitos problemas para os quais temos de dar resposta, só que não podemos responder hoje com as respostas do passado. Exige-se hoje muita coragem, discernimento e firmeza”, referiu.

Declarações de D. José Cordeiro sobre a reorganização pastoral na diocese. Pode ouvir a entrevista na íntegra ao Bispo da diocese de Bragança Miranda esta tarde depois das 17h, na antena da rádio Brigantia. Escrito por Rádio Brigantia

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro