“Os árbitros já têm uma imagem diferente e uma capacidade diferente"

Qua, 07/11/2018 - 10:18


O Centro de Treinos para os Árbitros da Associação de Futebol de Bragança tem um papel determinante na condição física dos árbitros e na sua evolução.

O espaço é apoiado e financiado pela Federação Portuguesa de Futebol e pretende melhorar a componente física e técnica, ajudando os árbitros a preparar e a dirigir os jogos da melhor forma possível.

“Os árbitros já têm uma imagem diferente e uma capacidade diferente, eles percebem que tem melhorado. Para a progressão de carreira também são avaliados pela federação. Aqui no centro são acompanhados na componente física e técnica por indicação e orientação do conselho de arbitragem nacional da FPF, que nos faz chegar essas orientações”, explicou António Oliveira, responsável pela preparação física.

O papel do árbitro na sociedade é “cada vez mais importante”, destaca António Oliveira, pois considera que para se chegar à excelência da arbitragem nacional é fundamental o trabalho realizado nos centros de treino.

“Já temos referências nacionais que vemos constantemente em jogos nacionais e para serem referências têm que realizar este tipo de trabalho.”.

Em Bragança treinam duas vezes por semana. Entre os árbitros de futebol e futsal são cerca de 30 os que assiduamente trabalham no Centro de Treinos.

“Aumentar o número de árbitros” é o objectivo traçado pelo Conselho de Arbitragem (CA) da A.F. Bragança, que actualmente conta nos seus quadros com 60 juízes de futebol e futsal.

Ainda assim, Fernando Lhano, assessor do CA da AFB, confessa que há falta de árbitros. Contudo, a associação tem garantido árbitros em todos os jogos dos campeonatos distritais.

“O número não é o que desejávamos mas a tendência é para aumentar com abertura de mais um curso. Temos conseguido garantir árbitros em todos os jogos, com alguma ginástica é verdade”.

Se no sector masculino o cenário da arbitragem está bem composto o mesmo não se pode dizer em relação ao feminino. No Centro de Treinos da A.F. Bragança há apenas uma mulher mas Fernando Lhano acredita que é possível mudar a tendência.

“Neste momento temos uma árbitra que é Viana do Castelo, mas solicitaram a vinda dela para o nosso centro para manter a forma física e tem vindo com regularidade. Tivemos outra colega do Porto, mas pelo facto de deixar de trabalhar em Bragança voltou para lá. De Bragança não temos senhoras mas o objectivo é no futuro é ter representação no feminino”.

A nível de árbitros no nacional, a AFB conta com três árbitros de futebol (João Afonso na categoria C2, Luís Pinto em C3N2 e Cláudio Miranda em C3N2) e dois no futsal (Edson Mendes em C2 e Ricardo Lopes também em C2).

Entretanto já começou, no dia 27 de Outubro, o Curso de Árbitros de Futebol.

 

 

Jornalista: 
Susana Madureira