PUB.

“O nosso plantel era competitivo e jogámos sempre olhos nos olhos, mas faltou experiência"

PUB.

Qua, 15/05/2019 - 11:24


O presidente do Grupo Desportivo Mirandês fala de uma participação positiva do clube no Campeonato de Portugal, apesar da descida ao distrital.

Foram várias as dificuldades sentidas ao longo da época e João Castro diz, agora, perceber as equipas que não assumem a subida aos nacionais. “Tenho que dar razão aos directores das equipas que são campeãs distritais e não querem subir. Nós arriscávamos. As equipas mais distantes não gostam de vir jogar a Miranda mas esquecem-se que nós de 15 em 15 dias tínhamos que fazer grandes deslocações. É verdade que o objectivo era a manutenção, infelizmente não conseguimos, mas no geral a prestação do Mirandês foi positiva”.

Para João Castro também faltou sorte ao Mirandês em vários jogos do campeonato. “Há jogos que o Mirandês empatou e se fosse para o intervalo a ganhar por 3-0 não é nenhum exagero. Era a bola que ia ao poste, à barra e as questões de arbitragem em que era mais fácil marcar uma grande penalidade contra o Mirandês do que a favor”.

O plantel do GD Mirandês contou com jogadores bastante jovens e com qualidade, mas faltou experiência na opinião do presidente. “O nosso plantel era competitivo e jogámos sempre olhos nos olhos, mas faltou experiência em determinados momentos”.

Apesar da despromoção, os jovens jogadores saíram valorizados e vários foram observados por outros emblemas do Campeonato de Portugal. É o caso do médio Zé Campos.

Sobre o futuro, João Castro espera voltar a ver o Mirandês no nacional mas para já o tempo é de reflexão e de começar a preparar a próxima temporada no distrital.       

 

 

Jornalista: 
Susana Madureira