PUB.

Futebol: Forneiro diz que foi ameaçado e garante que o Carção não vendeu jogos a ninguém

PUB.

Ter, 07/05/2019 - 08:53


António Forneiro confessa que foi ameaçado na semana que antecedeu o jogo com o F.C. Vinhais, a contar para a jornada 20 da Divisão de Honra Repsol Gás.

Em entrevista ao programa “Nordeste Desporto – Rescaldo da Jornada” ontem, à noite, na Brigantia, o técnico do Carção disse que recebeu um telefonema com ameaças dirigidas a ele e à família. “Fiz uma queixa na GNR depois de ter recebido um telefonema anónimo a ameaçar os meus filhos e a minha esposa”.

António Forneiro disse mesmo que temeu pela segurança dos filhos e até dos seus jogadores. “Nessa semana temi que algumas coisas pudessem acontecer. Nesse telefonema foi-me dito que sabiam onde os meus filhos estudavam e que podiam aparecer virados para o lado. Nessa semana tive receio, não por mim mas pela minha família”.

O Carção perdeu o jogo com o FC Vinhais por 1-2, relativo à jornada 20, e António Forneiro lamenta as insinuações que diz terem sido feitas após o encontro. “Há pessoas que dizem que o Carção vendeu o jogo com o Vinhais ao Grupo Desportivo de Bragança por quatro mil euros. Quem diz isso? Muita gente. São pessoas maldosas e invejosas. O Carção não precisa de vender resultados a ninguém”.

Para os jogadores a época não tem sido fácil. Foram vários os atletas notificados pelo SEF por questões burocráticas e segundo António Forneiros foram mesmo várias vezes ameaçados. “Os jogadores foram fantásticos e nunca se deixaram ir abaixo nem se deixaram intimidar”.

O Carção termina a época no segundo lugar com 55 pontos, a três do campeão distrital, o Bragança, mas António Forneiro considera que a sua equipa foi “a melhor dentro das quatro linhas”.

Terminado o campeonato, o Carção vira as atenções para a taça distrital. No próximo domingo defronta o GD Bragança, no segundo jogo das meias-finais, e está em desvantagem já que perdeu o primeiro jogo por 2-1.

 

 

Jornalista: 
Susana Madureira