Ensino Superior de regresso a Macedo de Cavaleiros

Qua, 27/06/2018 - 09:14


Através de um protocolo entre o município macedense e o Instituto Politécnico de Bragança, o ensino superior vai voltar a Macedo de Cavaleiros.

A partir de Setembro, quatro cursos TeSP – Curso Técnico Superior Profissional, vão entrar em funcionamento nas instalações do Piaget. O presidente do IPB, Sobrinho Teixeira, fala da coesão territorial como missão do politécnico e aponta a qualificação de pessoas como essencial para a criação de emprego como forma de reverter a redução demográfica.

“É algo que o IPB tem procurado fazer e vai continuar: promover a coesão territorial dentro da própria região. Foram consideradas que as condições oferecidas pela câmara municipal de Macedo de Cavaleiros eram dignas para ter um ensino de qualidade. Existe uma disponibilidade do ponto de vista material e de recursos humanos”, destacou o presidente do IPB, Sobrinho Teixeira.

As áreas dos cursos ainda não estão completamente definidas e segundo o presidente da Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros, Benjamim Rodrigues, o objectivo maior neste momento é criar uma escola de negócios.

“Seria muito importante criar uma escola de negócios. É importante criar alguns cursos e pós-graduações, no âmbito da aérea dos negócios e que daria outra projecção ao nosso concelho. Estamos a trabalhar neste sentido”, adiantou o presidente da câmara municipal de Macedo de Cavaleiros.

Esta é uma aposta que, conforme afirma Benjamim Rodrigues, representa muito para Macedo de Cavaleiros: “pode representar progresso, sustentabilidade, dinamismo económico, inovação e um fenómeno de coesão para o território”, acrescentou o presidente da câmara municipal de Macedo de Cavaleiros.

O protocolo tem o patrocínio da Secretária de Estado do Ensino, Tecnologia e Ensino Superior. Maria Fernanda Rollo, que na visita a Macedo de Cavaleiros, em Janeiro, afirmou que a sua vinda a Trás-os-Montes não se prendia com a reabertura do Piaget já que isso não era uma questão dependente do governo mas sim do comportamento demográfico do país tendo adiantado já na altura a possibilidade da criação destes cursos.

Escrito por Brigantia 

 

Jornalista: 
Carina Alves