Atleta paralímpico deu palestra motivacional em Bragança

Qui, 06/12/2018 - 12:30


Lenine Cunha, o atleta paralímpico mais medalhado do mundo, 197 medalhas, esteve, ontem, em Bragança para partilhar a sua experiência no atletismo adaptado.

A actividade contou com utentes de várias IPSS do distrito e foi organizada pelo Centro de Educação Especial da Santa Casa da Misericórdia de Bragança no âmbito das comemorações do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, assinalado na segunda-feira.

O atleta orientou uma sessão de exercícios físicos, deu uma palestra motivacional e mostrou como é possível dar a volta por cima e tornar uma doença numa rampa de lançamento para um caminho de recordes.

Lenine lembrou o episódio de meningite quando tinha quatro anos, que na altura fez com que perdesse a fala e a memória.

“Um ano e meio depois de ter tido meningite os meus pais inscreveram-me em actividades desportivas para eu socializar. Eu não tinha nenhum problema físico era apenas intelectual. Foi a melhor coisa que eles fizeram e o facto de praticar desporto ajudou-me muito, principalmente a nível da fala”.

O atleta, de 34 anos, divide-se entre as competições e as acções de sensibilização em que partilha a sua história de vida. Lenine Cunha diz que é necessários quebrar barreiras e isso começa pelos pais. “Os pais já incentivam mais os filhos a praticar desporto”, disse.

O atleta também sente que as mentalidades estão a mudar, muito graças aos resultados dos atletas paralímpicos em competições, apesar de haver ainda algumas resistências.

“Nós, atletas de alto rendimento, já não temos grandes motivos de queixa, pois fomos igualados aos atletas olímpicos em termos de prémios monetários e bolsa de preparação. Para quem está a começar é complicado pois os pais têm que levar os meninos aos treinos, os horários nem sempre são os melhores para os pais e há clube que não aceitam meninos com deficiência”.

Lenine Cunha é uma referência nacional e internacional no desporto adaptado. O atleta paralímpico português foi mesmo eleito, em 2017, o melhor atleta mundial da Federação Internacional para Atletas com Deficiência Intelectual (INAS).

Para a directora do Centro de Educação Especial da Santa Casa da Misericórdia, Virgínia Lopes, foi “um privilégio receber” o atleta.

Lenine Cunha terminou o dia em Bragança com uma palestra motivacional. A actividade foi organizada pelo Centro de Educação Especial da Santa Casa da Misericórdia de Bragança no âmbito das comemorações do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, assinalado na segunda-feira.

 

 

Jornalista: 
Susana Madureira